Quais são os tipos de câmeras de segurança?

Quais são os tipos de câmeras de segurança?

Quais são os tipos de câmeras de segurança?
É preciso admitir que não é fácil escolher uma câmera de segurança. Existem muitos modelos, cada um com uma gama de funções. Porém, com um pouco de pesquisa, é possível encontrar aquela que se encaixa no que você precisa. Essa é exatamente o ponto: o que você precisa? É de uma câmera fixa para a vigilância de uma área? O lugar é iluminado? Vai ter alguém assistindo as imagens?

Sim, são muitas perguntas, mas elas são fundamentais para entender a sua real necessidade. Hoje vamos falar sobre diferentes tipos de câmeras de segurança, uma forma eficiente de evitar perdas por roubo em sua empresa.

Câmeras IP ou CFTV?

As câmeras do tipo IP são as mais avançadas quando se pensa em segurança, seja pela facilidade de uso como a flexibilidade da tecnologia. É possível utiliza-las com rabo de rede, Wi-Fi e até conexões de telefonia como o 4G. Para o usuário, as imagens ficam a um toque de distância, já que podem ser acessadas de tablets e smartphones, além de computadores.

Do outro lado temos o CFTV, uma tecnologia anterior ao IP, que necessitava de um dispositivo para receber as imagens das câmeras analógicas além do DVR, o aparelho que realmente grava as imagens. Vale lembrar toda a burocracia na hora da instalação, já que severos trabalhos de alvenaria precisam ser feitos. Apesar de muito utilizado, vem sendo substituído rapidamente pela tecnologia mais nova e eficiente das câmeras IP.

Câmeras Infravermelho

São câmeras muito eficientes, graças a sua capacidade de capturar imagens coloridas e de alta resolução durante o dia e, no decorrer da noite, exibir imagens muito mais claras do que aquelas que o olho humano é capaz de ver. São extremamente eficientes em locais de pouca ou nenhuma luz.

Câmeras Pan Tilt com zoom

Essas são câmeras que podem ser controladas a distância por software ou joystick. Assim é possível virar a câmera pra os lados, para cima ou para baixo, além de dar zoom. São equipamentos muito utilizados em grandes áreas, como shopping centers, aeroportos e empresas. Uma das suas vantagens é a programação: é possível organizar rondas pré-definidas – que faz elas filmarem os pontos que o operador programou ou filmar uma área específica quando não houver ninguém presente.

Câmeras Wi-Fi

São câmeras indicadas para locais de difícil acesso ou de forma a facilitar trabalhos de instalação. As câmeras Wi-Fi podem trabalhar ligadas na energia elétrica ou também utilizando baterias somados a energia solar, (transformando-a em um aparelho totalmente independente). Essa última é a solução que trabalhamos, sendo excelente para eventos públicos ou acompanhamento de obras.

Como melhorar a eficiência do seu sistema de segurança

A utilização de boas câmeras de segurança com alta resolução focal é imprescindível, já que fatores como rosto de pessoas e placas de veículos são fundamentais. De forma reduzir as perdas por roubo na sua empresa, além das câmeras, é necessário adotar novas práticas de entrada e saída, como por exemplo: não permitir a entrada de mochilas e bolsas na área de trabalho, não permitir funcionários sem uniforme na área de trabalho, além de um rígido controle de entrada e saída. Um processo mais rígido somado com câmeras de qualidade vai inibir a ação de maus elementos que podem agir dentro da empresa.

Gostou do nosso artigo sobre tipos de câmera de segurança? Não deixe de acompanhar outros textos e novidades do blog, assine a nossa newsletter.

Modelo móvel e independente chega ao mercado

Modelo móvel e independente chega ao mercado

Modelo móvel e independente chega ao mercado
Um sistema inovador de monitoramento de segurança está prestes a chegar ao mercado brasileiro por meio de uma empresa mineira. Desenvolvido pela iniciativa do arquiteto Fernando Pena, o Sistema Autônomo de Monitoramento (SAM) propõe a evolução dos sistemas existentes até então, já que é independente, móvel e sustentável, dispensando conexão com a rede elétrica e gastos com instalação. A tecnologia está sendo desenvolvida há dois anos e agora está pronta para a comercialização. A expectativa é produzir e vender 50 equipamentos do SAM em dois anos, gerando faturamento de R$ 2,5 milhões.

A ideia de desenvolver um produto sustentável e mais prático na área de segurança foi de Fernando Pena, mas a execução só foi possível por meio do apoio do Programa Inova Talentos, do Instituto Euvaldo Lodi (IEL), que seleciona trainees para trabalhar em iniciativas inovadoras de pesquisa e desenvolvimento na indústria nacional.

Por meio do programa, o arquiteto adicionou à sua equipe a engenheira eletricista, Dayane Ferreira e o engenheiro de computação, Guilherme Almeida. Durante dois anos, a equipe desenvolveu a tecnologia do SAM, que foi reconhecida pela premiação do programa Inova Talento. Na etapa regional, o projeto ficou em primeiro lugar e na etapa nacional na terceira colocação. A inovação foi transformada em empresa que leva o mesmo nome da tecnologia e tem sede no bairro Sion, na região Centro-Sul da Capital.

Pena explica que a principal inovação do SAM é o fato de ele ser móvel e pronto para uso. Como funciona a partir de energia fotovoltaica, ele é livre de cabeamento e pode ser facilmente utilizado em qualquer ambiente que precise de monitoramento de câmera de segurança. “
Para instalar um sistema de monitoramento, o gestor da empresa ou do evento precisava, até então, passar por uma série de etapas. Ele tinha que fazer um projeto, contratar uma empresa, fazer a instalação e ainda depender de suporte. Com o SAM essas etapas são cortadas: o sistema é móvel e independente e pode ser alugado pelo tempo desejado”, afirma.

De acordo com ele, o SAM embarca uma câmera de alta resolução e sistema de vídeo analítico, que é capaz de aprender movimentos predeterminados e acionar um alerta. “Ele funciona a partir da necessidade do cliente: se a ideia é que depois de determinado horário não podem mais passar pessoas naquela região, o sistema vai ser programado para acionar um alarme caso alguém esteja nesse local em horário não permitido”, exemplifica. O arquiteto já investiu cerca de R$ 1 milhão no desenvolvimento da tecnologia e espera o retorno desse aporte em até quatro anos.

Entre os mercados que podem se beneficiar da tecnologia estão o de segurança pública, mineração, construção civil e esportivo, além de associações de bairros e promotores de eventos. De acordo com Pena, o aluguel do equipamento com a prestação de serviço custa cerca de R$ 5 mil. Ele destaca que o atual desafio da empresa é a comercialização da tecnologia, já que o produto é inovador e depende da confiança dos empresários em pleno período de crise. Mas ele afirma que já está negociando com algumas empresas e espera que, em dois anos, produza 50 equipamentos e fature R$ 2,5 milhões.

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DO SAM

• Mastro vertical com elevação de até 7 metros
• Sistema antissabotagem com alarme antifurto e rastreador.

Especificações técnicas:

• Dimensões: 2,3 metros altura (com mastro retraído); 1,55 metros de largura; 2,5 metros de comprimento
• Câmeras: resolução full HD (1920×1080)
• Opcionais: Iluminador zoom de até 36 vezes e 360º
• Gravação: até 90 dias (possibilidade de ampliação)
• Rede Sem Fio: até 10 quilômetros de alcance
• Rede de Celular: 4G

Investimento em Segurança no Trabalho: qual o papel da tecnologia?

Investimento em Segurança no Trabalho: qual o papel da tecnologia?

Investimento em Segurança no Trabalho: qual o papel da tecnologia?
segurança do trabalho é um assunto ser discutido: gestores e funcionários estão expostos a consequências desastrosas que pequenos descuidos podem trazer. É mais que recomendado que os gestores atuem com profissionais de segurança do trabalho e realizem investimento em segurança para que a rotina de seus funcionários se torne menos perigosa. Dentro dos padrões de segurança, uma empresa melhora a sua imagem entre seus clientes e aumenta o nível de satisfação de seus funcionários.

E a grande aliada nesse desafio é a tecnologia: com o seu auxílio é possível identificar problemas, otimizar rotinas e avaliar com maior grau de acerto todos os índices de qualidade internos. Quer saber mais sobre como a tecnologia contribui para uma rotina de trabalho mais segura? Siga com a gente:

Como a tecnologia impacta na segurança

Em ambientes de trabalho marcados por um alto índice de acidentes, é obrigatório para especialistas em segurança investirem em ferramentas que tornem o acompanhamento de estatísticas mais abrangente. Levantando dados precisos sobre acidentes, será possível identificar quais rotinas são menos seguras e investir em medidas mais efetivas de prevenção.

O acompanhamento de normas internas e o uso de materiais de segurança como os EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) e EPCs(Equipamentos de Proteção Coletiva) também passa a ser feito com mais qualidade. Sistemas digitais podem ser implementados para que a empresa consiga identificar quais profissionais atuam com os equipamentos certos, além de tornar a preparação para a troca desses materiais mais acertada.

A intranet, por exemplo, pode ser utilizada como meio de divulgação de normas e medidas de segurança. Por meio dela, técnicos em Segurança do Trabalho podem fazer chegar a todos os funcionários normas como medidas preventivas, regras de uso de EPIs e EPCs, além do conteúdo do PPRA (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais). Afinal, educar os colaboradores ainda é uma das formas mais eficientes de prevenir acidentes.

Como fazer um investimento em segurança: melhores ferramentas

Algumas ferramentas são bons investimentos, quando falamos em segurança. Dentre elas, destacamos algumas soluções em TI que afetam diretamente a rotina de uma empresa, reduzindo os riscos:

  • Intranet para a divulgação de documentação com normas de proteção, avisos e medidas que eventualmente forem implementadas.

  • Sistemas de gestão integrada (ERPs), para o acompanhamento de estatísticas de acidentes e índices de segurança.

  • Sistemas de monitoramento, para um acompanhamento mais eficiente do trabalho da equipe.

A partir do uso dessas tecnologias, estatísticas serão criadas e será possível identificar locais com alto índice de acidentes e criar políticas para reduzi-los. Acredite: medidas como essa afetam até mesmo a competitividade da empresa.

Por que tornar a cadeia operacional do seu negócio mais confiável

Alguns ambientes de trabalho são naturalmente mais perigosos que outros. Minas, setores da construção civil e de transporte de cargas, por exemplo, costumam figurar entre os campeões. Em setores como esses, o tema da segurança do trabalhador deve fazer parte do foco das rotinas de gestão, uma vez que elas estão diretamente ligadas à qualidade do serviço prestado.

Investir em tecnologia, como vimos, é investir em segurança. Ela tem um papel fundamental ao mapear os riscos, entregar números ao gestor e permitir que ele tome decisões baseadas nesses números. Além, claro, de otimizar diversos processos que têm como finalidade a segurança do colaborador e sua instrução para evitar riscos desnecessários.  Ela torna a gestão mais eficiente, aumenta a segurança, melhora a imagem da empresa e a torna mais competitiva.

Viu como investimentos em tecnologia afetam a segurança no trabalho? Tem mais alguma sugestão de medidas para reduzir o risco? Deixe um comentário aqui embaixo, contando pra gente. Ele pode salvar muitas vidas!

Gestão de Almoxarifado: 5 ações necessárias para o sucesso!

Gestão de Almoxarifado: 5 ações necessárias para o sucesso!

Gestão de Almoxarifado: 5 ações necessárias para o sucesso!
Em grandes empresas, é extremamente necessário se atentar para a gestão do almoxarifado. Neste local, ficarão armazenados muitos equipamentos e insumos valiosos. Se roubados ou perdidos, eles representarão um prejuízo considerável para a sua empresa.

Por isso, é essencial gerenciá-lo com eficiência: cuidando de sua segurança, controlando o fluxo de entrada e saída e otimizando o uso do espaço. Desse modo, algumas ações são necessárias para o sucesso e vamos falar delas agora:

1. Controlar o acesso

Nem todos os seus funcionários deverão ter acesso integral ao seu almoxarifado, pois, caso contrário, será muito difícil controlar o fluxo de entrada e saída. Com muitas pessoas, sempre haverá alguma que se esquecerá de anotar o que retirou.

Além disso, infelizmente, há várias possibilidades de fraudes: os próprios colaboradores podem cometer furtos, ladrões podem se passar por trabalhadores da empresa, etc. Para coibir essas ações, é importante deixar sempre alguém gerenciando o almoxarifado e dar a permissão de acesso a pouquíssimos funcionários, nos quais você mais confie.

2. Gerenciar a entrada e saída de objetos e materiais

Para otimizar o controle do fluxo de objetos e materiais, recomendamos o uso de qualquer software especializado em controle de almoxarifado. Caso não seja possível, um caderno poderá ser suficiente. Neles, devem contar sempre as seguintes informações:

  • Data
  • Quem retirou e quem acrescentou itens ao almoxarifado
  • Qual item
  • Qual quantidade

3. Otimizar o uso do espaço

Um almoxarifado desorganizado consequentemente causará uma maior perda de materiais e uma dificuldade grande em perceber qual é o tamanho do prejuízo. Além disso, você também correrá o risco de perder produtividade na sua empresa.

Imagine que algum setor esteja precisando de determinado insumo e ele não é encontrado em meio à bagunça. Para evitar essas situações, estabeleça categorias e divida o espaço de acordo com elas.

4. Realizar o controle periódico do estoque

O fato de controlar a entrada e a saída dos insumos já representa algum nível de controle de estoque. Entretanto, é preciso que você vá além dessa medida e também verifique todo o estoque frequentemente. Assim, você será capaz de prever a falta de determinado material, dimensionar as perdas e verificar a validade deles.

5. Investir em segurança: o grande trunfo da gestão de almoxarifado

A segurança é crucial para o almoxarifado e, mesmo assim, é muito negligenciada. No entanto, com um sistema moderno de segurança, você provavelmente conseguirá reduzir, a quase zero, as suas perdas devido à extravio de insumos.

Por exemplo, com um sistema autônomo de monitoramento, você será capaz de filmar todo o espaço em tempo integral. Assim, ficará mais fácil coibir o furto, identificar os criminosos e, também, verificar se seus funcionários estão agindo corretamente.

Fazer uma boa gestão de almoxarifado é uma tarefa que não pode ser adiada em sua empresa. Muitas pessoas com intenções criminosas sabem a fragilidade desse setor, o que o torna alvo fácil. Por essa razão, além de criar processos operacionais para otimizar o controle do almoxarifado, também é importantíssimo cuidar da segurança do espaço para reduzir as perdas e mitigar os danos.

Quer mais dicas para manter a segurança de seu almoxarifado e minimizar as suas perdas? Leia, então, nossas 5 dicas para prevenir perdas e roubas no almoxarifado!

Desenvolvido por mineiros, equipamento promete ser nova arma contra a criminalidade

Desenvolvido por mineiros, equipamento promete ser nova arma contra a criminalidade

Desenvolvido por mineiros, equipamento promete ser nova arma contra a criminalidade
Ele é móvel, pode ser utilizado em locais remotos, não tem cabos de energia nem de transmissão de dados e é abastecido com energia solar. Um novo e moderno equipamento de segurança, desenvolvido por um trio de mineiros, promete ser mais uma arma contra a criminalidade.

Chamado de Sistema de Monitoramento Autônomo (SAM), o aparelho é capaz de monitorar áreas do campo ou da cidade e começou a ser produzido em série. Agora, concorre a um prêmio nacional de inovação.

Em tempo real

O SAM funciona no escuro e pode ser posicionado em diferentes espaços para captar imagens e áudio em tempo real. Os dados são enviados para o receptor via redes wi-fi, 3G e 4G, e até por antena em regiões sem sinal.

A ideia de construir o equipamento partiu do arquiteto Fernando Pena. Para desenvolver o projeto, ele submeteu a pauta ao Inova Talentos – programa que seleciona trainees para trabalhar em iniciativas inovadoras de pesquisa e desenvolvimento na indústria nacional.

Foi assim que ganhou o reforço de dois jovens recém-formados, a engenheira eletricista Dayane Stefany Ferreira e o engenheiro de computação Guilherme Batista Almeida, bolsistas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Juntos, os pesquisadores belo-horizontinos trabalharam por um ano para desenvolver o SAM, que teve o projeto finalizado no fim de 2015. “Hoje para você implementar um sistema de segurança, é preciso fazer uma grande estrutura, passar cabos e comprar equipamentos, como câmera e gravador. Isso é caro, requer um custo muito alto e mão de obra especializada. E em locais mais afastados você não consegue ter esse tipo de rede”, explica Guilherme.

A ideia é que o aparelho possa ser alugado por empresas, organizadores de eventos e até mesmo pelo poder público para situações em que não há necessidade de monitoramento constante. “Muitas vezes você tem um canteiro de obras e só quer monitorar a área enquanto está tendo aquela construção. Aí você vai fazer aquela grande infraestrutura para depois, num tempo mínimo, ter que se desfazer dela? Nessas situações, um sistema móvel é essencial”, destaca Dayane.

Outras áreas

Além de canteiros de obras, mineradoras, aeroportos e outros espaços que não precisam ser monitorados constantemente, o engenheiro de computação Guilherme Almeida reforça que o projeto inovador tem potencial de intensificar o sistema de segurança pública das cidades em eventos esportivos, culturais e até mesmo em locais que são alvo frequente de vandalismo.

“O SAM funciona no escuro, consegue dizer se alguém invadiu a área, e avisar guardas por notificação no celular ou em computadores. Assim, eles não precisam estar espalhados por todo o local, podem ficar em um lugar mais seguro e sem chances de serem rendidos pelos ladrões”, diz.

Responsáveis pelo projeto concorrem a prêmio nacional

O projeto desenvolvido pelos engenheiros mineiros está concorrendo à premiação nacional do programa Inova Talentos, que ocorre neste mês. Foram selecionados três projetos e um artigo acadêmico de cada Estado para concorrer na última fase. O prêmio para o primeiro lugar é uma missão internacional para visitar um centro de inovação fora do país.

Dayane e Guilherme já foram premiados na etapa estadual, em agosto deste ano: ele na categoria de equipes e ela na de artigo, ambos com o projeto do SAM. Nessa fase preliminar, o aparelho construído pelos jovens pesquisadores disputou com iniciativas de inovação na indústria das mais diferentes áreas do conhecimento.

Concorreram em Minas Gerais desde projetos para aproveitar resíduos de uma fábrica de tecidos a estudos para aumentar a eficiência e a rapidez na manipulação de remédios na área farmacêutica.

Dayane reforça que a premiação mostrou que é possível realizar projetos de destaque mesmo em empresas de pequeno porte e com orçamento inferior ao de grandes indústrias.

“O Inova Talentos desmistificou aquela ideia de que tem que ter muita verba e uma equipe grande e bem especializada para se montar um projeto de inovação. É possível inovar em uma pequena empresa, com recurso limitado”, diz ela, que ainda acrescenta: “nós fizemos o SAM na sede da empresa, na garagem. Ficávamos debaixo de sol e chuva mexendo nos sistemas elétricos e de computação”.

Para Guilherme, a experiência de participar de um programa de inovação logo após cursar a faculdade foi essencial para perceber que sair dos modelos tradicionais não significa necessariamente inventar um produto completamente do zero.

“A maior parte das peças já existia. O que fizemos foi pegar tudo e criar um produto novo. A maneira como você olha para um projeto é que pode trazer a inovação”, diz.

Como evitar roubos em uma obra e na sua vizinhança

Como evitar roubos em uma obra e na sua vizinhança

Como evitar roubos em uma obra e na sua vizinhança
Que a segurança caminha lado a lado com o sucesso de um projeto não é dúvida para ninguém, certo? Mas será que ela se torna importante em qualquer área, até mesmo na construção civil? É claro que sim! Assim como nas empresas, é extremamente importante proteger toda a estrutura do canteiro de obras, evitando que ele se torne vulnerável.

Quer saber como aumentar a segurança em obras? Então, continue a leitura e conheça algumas estratégias para proteger o canteiro de obras!

Quais são os maiores riscos da falta de segurança em obras?

São inúmeros! Podemos começar pelo mais básico e comum de todos: a perda de equipamentos. O canteiro de obras é composto por diversas ferramentas que possuem elevado valor e que, consequentemente, atraem a atenção de muitas pessoas. Sem a segurança correta, esses equipamentos são furtados com facilidade, comprometendo o andamento da obra, além de atrasar todo o projeto e reduzir a segurança do trabalho.

O que fazer para garantir a segurança em obras?

Conscientize os funcionários

Os funcionários também são responsáveis pela segurança do canteiro de obras. Como estão o dia todo neste ambiente, é importante que eles saibam como ajudar a manter tudo em ordem, evitando que pessoas estranhas entrem no local e possam vir a comprometer a segurança de todos.

Caso seja necessário, pode-se recorrer à uma empresa especializada, que vai treinar os funcionários para que eles tenham atitudes corretas em situações de risco, evitando problemas maiores.

Monitore o fluxo de pessoas

O fluxo de pessoas em uma obra está diretamente relacionado com o nível de segurança dela. Se qualquer pessoa puder frequentar o canteiro de obras, ficará impossível ter um controle sobre o local, aumentando consideravelmente as chances de furto e de depredação. Daí, a importância em se ter um controle rigoroso sobre quem entra e quem sai da obra.

Para isso, pode-se ter funcionários para realizar essa função, ou ainda colocar catracas eletrônicas, que permitem o acesso somente com crachá ou biometria. Assim, é possível ter um controle sobre o fluxo de pessoas, aumentando a segurança.

Não fique na dúvida

Acredita que um determinado setor do canteiro de obras necessita de mais vigilância? Então, não fique na dúvida e reforce o controle sobre ele! Essa ação preventiva é essencial para evitar problemas maiores, reduzindo as chances de que algum incidente aconteça.

Se julgar necessário, coloque seguranças na entrada do setor, para que eles possam monitorar tudo o que acontece. Um dos locais que precisam de maior atenção é o almoxarifado, pois esta área contém materiais e equipamentos essenciais para o andamento do projeto.

Não deixe a tecnologia de lado

Esse é um fator extremamente importante para manter a segurança em uma obra. A tecnologia permite a realização de uma gestão completa da segurança em todo o canteiro, possibilitando uma análise em todos os setores.

Para ter um controle completo de toda a obra, invista em sistemas de monitoramento. Eles permitem que se tenha informações atualizadas sobre a obra por meio de um aplicativo, com câmeras de segurança integradas e dispostas estrategicamente. Assim, é possível acompanhar tudo o que está acontecendo sem sair do escritório.

Percebeu como a segurança em obras é importante? Quer aprender mais sobre o assunto? Então, assine já a nossa newsletter!

O que é uma câmera IP?

Da mesma forma que computadores e demais dispositivos que se conectam a internet, esse tipo de câmera utiliza o protocolo IP, que lhe confere um número identificador possibilitando que outra máquina, em qualquer lugar do planeta, consiga ler as suas informações — nesse caso em especial, assistir ao que é exibido. Ou seja, basta instalar a câmera onde deseja e assistir ao vídeo no lugar que bem entender. Além disso, dependendo do modelo, estes equipamentos são capazes de enviar áudio, utilizar infravermelho para gravar em locais com pouca luz, mudar o ângulo da gravação, dentre outros. Essa flexibilidade favorece o uso da tecnologia para uso doméstico, comercial e industrial. Seja pela qualidade ou simplesmente pelo fator preço.

Quais os benefícios da câmera IP?

Ao contrário de câmeras analógicas antigas, que exigiam um trabalhoso processo de instalação (envolvendo sempre um trabalho de alvenaria para a passagem de cabos), as câmeras IP são muito mais eficientes. Os cabos são os mesmos utilizados por computadores (fáceis de manejar) e muitas delas oferecem a possibilidade de funcionar via Wi-Fi. Por se tratar de um aparelho totalmente digital, as imagens não possuem interferência e a resolução fica ao gosto do cliente: as imagens podem ser capturadas em alta definição.

Imagens sobre o artigo

Custos diretos e indiretos em segurança: qual a diferença?

Custos diretos e indiretos em segurança: qual a diferença?

Custos diretos e indiretos em segurança: qual a diferença?
As câmeras de segurança se tornaram itens cada vez mais comuns nos ambientes de trabalho, aumentando a segurança tanto dos funcionários quanto do patrimônio da empresa. Mas, seu uso exige certa cautela e atenção para não gerar constrangimento e tornar a empresa vulnerável a processos jurídicos.

Quer descobrir quais são esses cuidados e como garantir que a instalação das câmeras de segurança será feita de forma correta? Então continue lendo este post!

Tenha a segurança como objetivo único

A instalação de câmeras de segurança no ambiente de trabalho é permitida, tanto no ambiente interno quanto externo, desde que elas sejam colocadas para garantir a segurança dos funcionários, das máquinas, dos equipamentos e de qualquer outro item do patrimônio da empresa. Por isso, mantenha em mente que a única e principal função desse equipamento é esta: garantir a segurança dos envolvidos.

Tome cuidado para não violar a privacidade dos funcionários

A legislação brasileira não conta com nada específico acerca da instalação de câmeras de segurança no local de trabalho. No entanto, em seu artigo 5º, a Constituição garante a todos os indivíduos, brasileiros ou estrangeiros residentes no país, o direito à liberdade e determina o caráter inviolável da intimidade, da vida privada, da honra e da imagem pessoal, o que deve ser levado em consideração na hora da instalação das câmeras.

Por isso, não é permitida a instalação de câmeras para vigiar o trabalho dos funcionários, pressioná-los psicologicamente ou constrangê-los de qualquer forma. Caso isso ocorra, o funcionário tem o direito de processar o empregador por danos morais e obter uma indenização decorrente dessa violação.

Estabeleça um regulamento interno

Com a instalação das câmeras é importante estabelecer um regulamento interno que descreva exatamente o porquê da instalação das câmeras: qual o objetivo das filmagens, quais são locais em que as câmeras foram colocadas, como é feita a gravação, etc. Dessa forma, fica mais difícil que as câmeras sejam utilizadas de forma indevida, e o empregador se respalda legalmente.

Divulgue para os funcionários a instalação das câmeras de segurança

Uma vez estabelecido o regulamento interno e determinadas as condições de instalação das câmeras de segurança, é fundamental divulgar esse fato aos funcionários para que eles estejam cientes e de acordo com as filmagens. Para isso, é importante enviar comunicados internos, anexar cartazes em murais, e até realizar reuniões para que todos os funcionários tomem conhecimento da instalação das câmeras.

Evite vigiar locais íntimos

Banheiros, lavatórios, vestiários e refeitórios são ambientes em que os funcionários estão mais expostos e se sentem à vontade para se expressar, e, como já dito, não é permitido violar essa privacidade.

Nesses ambientes, o quesito segurança se limita no máximo aos locais de fluxo de entrada e saída, e mesmo assim é importante ter argumentos que defendam a necessidade desse controle para a manutenção da segurança no ambiente de trabalho. Se não houver um motivo específico e contundente, não instale câmeras nesses locais.

Busque serviços profissionais

Como não existe uma lei específica sobre a instalação de câmeras de segurança, pode ser um pouco difícil decidir quais os locais em elas podem ser posicionadas, qual seria o número ideal de câmeras, se elas devem estar visíveis ou camufladas, se devem ficar ligadas o tempo todo, como o armazenamento das imagens deve ser feito, e diversas outras questões técnicas. Por isso, o ideal é contar com uma equipe profissional especializada e já familiarizada com o tema para evitar transtornos.

Agora que você sabe mais sobre o assunto, está interessado na instalação de câmeras de segurança na sua empresa? Confira nossos serviços e entre já em contato com a nossa equipe!

Como escolher o melhor serviço de câmeras IP para obras?

Como escolher o melhor serviço de câmeras IP para obras?

Como escolher o melhor serviço de câmeras IP para obras?
Segurança e otimização de tempo são os grandes sonhos de todo gestor de obra. Pensando em uma solução para unir essas duas vantagens e facilitar a rotina nas obras, as empresas estão investindo em sistemas de monitoramento. Se você também está pensando em escolher câmeras IP para a sua empresa, pode estar prestes a fazer um bom negócio.

É claro que todo equipamento precisa ser comparado e testado antes de ser adquirido ou alugado. Por isso, preparamos esse post para que você entenda um pouco mais sobre as características e funcionalidades das câmeras IP. Confira as dicas a seguir!

As vantagens de ter um sistema de monitoramento

O monitoramento de obras usando câmeras traz uma série de vantagens para empresas, gestores e trabalhadores. Além de aumentar a segurança no canteiro de obras, as câmeras permitem que os gestores acompanhem diversas obras sem sair do escritório.

Essa facilidade economiza tempo e dinheiro, já que os gestores precisam se deslocar menos. As câmeras também facilitam o registro do progresso das atividades. Além disso, as câmeras são capazes de detectar ações e movimentos e emitir alertas, reduzindo o gasto com pessoal de segurança.

Por todas essas funcionalidades, as câmeras têm sido adotadas pelas empresas e já são realidade em muitos canteiros e minas.

Como escolher câmeras IP

A câmera IP pode ser acessada e controlada por qualquer rede que utilize o IP (Internet Protocol). Isso significa que ela pode utilizar a internet, uma rede LAN ou uma intranet.

Normalmente é possível visualizar as imagens e vídeos gerados pela câmera de qualquer computador, simplesmente utilizando a internet. Veja as principais características a serem observadas na hora de escolher câmeras IP!

Conexão com a Internet

A conexão com a internet é uma das características mais importantes das câmeras IP. A conexão é feita via cabo, Wi-Fi ou 4g. A disponibilidade de internet pode ser limitada em locais remotos e, por isso, é importante adquirir uma câmera que aceite diferentes tecnologias.

Acesso remoto e multiplataforma

As câmeras IP geralmente podem ser acessadas remotamente usando celulares, tablets ou computadores. O acesso é feito utilizando aplicativos ou softwares destinados a esse fim. É possível encontrar ferramentas gratuitas que são práticas e fáceis de configurar.

Visão noturna

A visão noturna permite que a câmera continue a fornecer imagens nítidas mesmo quando há pouca luz no local. Essa é uma característica importante se a sua equipe também trabalha no turno da noite ou se a obra está em uma área onde é comum ocorrer furtos e assaltos.

Detecção de movimento

A detecção de movimento permite que a câmera identifique a entrada de pessoas estranhas ou qualquer evento inesperado. Algumas câmeras podem ser programadas para enviar alertas automáticos quando detectarem eventos ou quando acontecer uma tentativa de roubo ou de desativação do equipamento.

Fonte de energia

A disponibilidade de energia também pode ser crítica em alguns locais e canteiros e as câmeras IP oferecem algumas possibilidades. Elas podem ser alimentadas via tomadas, baterias e, em alguns casos, podem usar até mesmo a energia solar.

Além dessas características principais, é possível considerar outros fatores na hora de escolher câmeras IP. Elas têm diferentes resoluções, tipos de zoom, posicionamento das lentes, resistência à água e assim por diante.

A escolha da câmera IP deve ser feita pensando na melhor solução para agregar segurança, confiabilidade e custo-benefício para empresas e gestores de obras. Entre em contatoconosco para escolher a melhor câmera IP para as suas obras!

Além da segurança: 5 motivos para investir em monitoramento de imagens

Além da segurança: 5 motivos para investir em monitoramento de imagens

Além da segurança: 5 motivos para investir em monitoramento de imagens
O acompanhamento de várias obras ao mesmo tempo pode se tornar um pesadelo logístico. É muito difícil ter a noção completa do que está acontecendo  o tempo todo, e nesses processos misturados é que surgem os problemas de andamento: atrasos, problemas trabalhistas e prejuízos.

Muitos gestores de obras não sabem, mas o uso de câmeras IP, ligadas o tempo todo na internet, podem servir não só para dar mais segurança, mas para otimizar todo o processo de monitoramento de obras. Veja 5 motivos para investir nesta solução:

1. Inibição de roubos

Vamos dar dicas além da segurança, mas claro que é sempre bom reforçar este ponto. Inibir roubos em uma obra não é só uma questão de prejuízo direto, mas é uma ameaça ao andamento da construção como um todo.

Possuir câmeras que transmitam em tempo real as imagens, onde quer que você esteja, te dá a chance de agir rapidamente e impedir que materiais e equipamentos sejam furtados.

2. Auxílio no diário de obra

Você sabe da importância do diário de obra, mas sabia que as imagens de câmeras podem ajudar muito nesta documentação? Câmeras IP te permitem gravar o quanto você precisar da transmissão de monitoramento.

No caso de imprevistos, observações, fatos relevantes sobre a obra que precisem ser registrados, você pode anexar vídeos para explicar melhor seu ponto, ilustrar uma situação e ainda usar de argumento quando algum dado conflitante surgir entre você e o contratante.

3. Acompanhamento do progresso da obra

Normalmente o acompanhamento de obras é feito por fotos, mas você pode ter um pouco mais de informação do que isso.

Com câmeras autônomas é possível acompanhar o progresso de uma obra em tempo real, entender quais processos estão demorando muito e como otimizar sua mão-de-obra para resolver os gargalos.

4. Controle de pessoal

Os funcionários podem ser um grande problema para quem geralmente tem que lidar com mão-de-obra desqualificada. Seja por má fé ou simplesmente pela falta de experiência de alguns trabalhadores, uma obra pode sofrer diversos contratempos caso o gestor não esteja tão presente.

O monitoramento remoto de imagens é uma solução prática e eficiente nesses casos. Você pode controlar de perto seu pessoal em várias obras ao mesmo tempo. É possível ver quem está tendo dificuldades, quem está criando dificuldades e corrigir o problema assim que ele surgir.

5. Armazenamento de dados sobre o monitoramento da obra

Este último motivo abrange todos os outros. Ter câmeras para um monitoramento de imagens remoto e em tempo real é a chave para ter os dados que você precisa.

Tempo de serviço, qualidade, eficiência, pontos fortes e fracos da sua gestão, momentos mais críticos e que exigem mais atenção… Você pode levantar todas essas informações com um monitoramento em tempo real.

Documentando e analisando estes dados, você estará pronto para melhorar a sua capacidade de gestão, explicar melhor o que você precisa de cada funcionário e otimizar toda a sua capacidade de acompanhamento.

Investir no monitoramento de obras através de câmeras vai muito além da segurança. É uma nova forma que o gestor preocupado em exigir a melhor execução tem de documentar, analisar e cobrar o melhor serviço.

E hoje, a melhor forma de fazer este monitoramento de imagens é através de câmeras autônomas, que não precisam estar conectadas à rede elétrica e te permitem acesso à transmissão onde você estiver. Se você tem interesse neste tipo de tecnologia, venha conversar conosco e conheça as nossas soluções para você!

Belo Horizonte se destaca como a capital da inovação no Brasil

Belo Horizonte se destaca como a capital da inovação no Brasil

Belo Horizonte se destaca como a capital da inovação no Brasil
Brasília é a capital política do país, São Paulo é a capital da economia brasileira, o Rio de Janeiro é a capital do turismo e nosso objetivo é transformar Belo Horizonte e sua região metropolitana na capital brasileira do conhecimento e da inovação. Nessa direção, um passo importante foi dado na última segunda-feira, com a seleção de 100 projetos inovadores para participar do Fiemg Lab, um programa pioneiro entre as federações de indústrias de todo o país. É uma centena de boas ideias de jovens e pequenas empresas – startups e spinoffs –, das diversas regiões mineiras, do país e até internacionais. Durante 18 meses, elas terão o apoio do Sistema Fiemg e dos parceiros do Fiemg Lab para transformar seus projetos e ideias em produtos de alta intensidade tecnológica e elevada capacidade de agregar valor à indústria mineira.
Temos uma excepcional base a nos apoiar. Já dispomos de instituições do porte e da importância da UFMG e das universidades de Viçosa e de Itajubá. Também temos a Fundação Dom Cabral, a Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig), a unidade do Google em BH, o Centro de Engenharia e Tecnologia da Embraer (instalado no CIT Senai Fiemg – câmpus Cetec) e os polos de inovação e tecnologia em Santa Rita do Sapucaí, no Sul de Minas, e aqui mesmo em BH – o São Pedro Valley. Em Varginha, está o hub de tecnologia para a saúde da Philips América Latina. Em Betim, localiza-se o centro de design da Fiat Chrysler, com mais de 100 designers – o único fora dos EUA e da Itália.
Essa é a linha que queremos seguir, apoiada no binômio “inovação e tecnologia” e em sua capacidade de construir uma indústria moderna e competitiva, globalmente. Nesta empreitada, com muita honra, contamos, no Fiemg Lab, com a parceria do Sebrae-MG, governo de Minas Gerais, Fapemig, CNI, Grupo BMG e Atmosphera.
Em seu conjunto, a qualidade dos 100 projetos selecionados pelo Fiemg Lab contém atributos fundamentais – ousadia, criatividade e potencial para se transformar em negócios de sucesso. De fato, as 73 startups e 27 spinoffs selecionadas apresentam ideias inovadoras e disruptivas em setores estratégicos para a economia mineira – nas áreas de TI, segurança e saúde do trabalho, alimentos, energia, educação, vestuário, construção civil, logística e agropecuária. O Fiemg Lab é um exemplo importante do trabalho que, em parceria com os nossos sindicatos filiados, realizamos como objetivo de inovar e investir em novas tecnologias e soluções para as empresas mineiras.
Há outras iniciativas igualmente relevantes. Uma delas é o P7 Criativo, projeto que estamos realizando em parceria com o Sebrae-MG, Apex Brasil e o governo do estado, por meio da Codemig e da Fundação João Pinheiro. O objetivo é a criação, na Praça Sete, em BH, de um espaço destinado a ampliar a densidade do ecossistema de startups em Minas Gerais. O antigo prédio do Bemge – construído em 1953, com projeto de Oscar Niemeyer – será restaurado e reestruturado para abrigar, em um ambiente de colaboração e empreendedorismo, empresas inovadoras e de alta intensidade tecnológica nos segmentos do design, moda, software, games e audiovisual. O P7 começa a operar já neste semestre com ações nos eixos da internacionalização e empreendedorismo.
A proposta é transformar o Hipercentro de BH no maior polo de economia criativa do Brasil, como epicentro desse movimento que vai conectar startups, grandes empresas, profissionais da economia criativa e empresas de TI. É um movimento alinhado com a tendência mundial de concentrar a economia criativa em zonas centrais, aproveitando a diversidade de talentos e setores, como ocorre em Pittsburgh, Kansas, San Francisco, Medellín, Lisboa e Barcelona.

Como câmeras de monitoramento funcionam em ambientes escuros?

Como câmeras de monitoramento funcionam em ambientes escuros?

Como câmeras de monitoramento funcionam em ambientes escuros?

Quer melhorar a segurança na sua obra, mas não sabe como? Então, você precisa conhecer as câmeras de monitoramento para ambientes escuros! Para isso, esses equipamentos utilizam sensores e capturam as imagens em ambientes que não possuem luz.

Trata-se de uma tecnologia que permite ver onde o olho humano não consegue enxergar. Desse modo, pode-se ter uma maior segurança do canteiro de obras, que passa a ser monitorado todo o tempo — inclusive durante a noite!

E aí, se interessou pelo assunto? Então continue lendo este post e conheça os principais modelos de câmeras de monitoramento para ambientes escuros!

Quatro modelos de monitoramento para ambientes escuros

1. Câmeras de monitoramento com LED

Essas câmeras de segurança utilizam LEDs pra capturar imagens em ambientes com total ausência de luz — o que é muito comum em canteiros de obras. O alcance dessas câmeras varia entre 10 e 15 metros, sendo que, em ambientes mais claros — onde também podem ser usadas — essa distância é um pouco maior.

E elas possuem ainda uma compensação de iluminação resultante dos LEDs, que possibilita a mesma quantidade de iluminação para objetos que estão próximo ou mais distantes da câmera. Em ambos os casos, suas imagens são em preto e branco.

2. Câmeras infravermelho

Essas câmeras utilizam um sistema de monitoramento que também é composto por LEDs, mas com uma característica adicional: são infravermelhos. Assim, a principal diferença entre esse tipo e o anterior diz respeito ao alcance: a câmera infravermelho captura imagens no escuro a uma distância de té 30 metros!

Os iluminadores infravermelhos também são capazes de capturar imagens em ambientes iluminados — nesse caso a imagem é colorida. Porém, quando há a ausência de luz, eles mudam seu modo de capturar, resultando em uma imagem em preto e branco.

Também é importante ressaltar que a câmera com LEDs infravermelhos não é indicada para ambientes com pouca iluminação, pois a imagem pode não ficar perfeita. Isso acontece pois elas captam as imagens por meio de ondas térmicas, ou seja, a presença de calor no escuro.

Assim, se o ambiente possuir uma quantidade de luz suficiente para visualizar imagens, o sensor não funciona corretamente, resultando em imagens ruins.

Além disso, as câmeras com resolução infravermelho devem ser sempre instaladas com direção para alguma barreira física, como uma parede, por exemplo. E podem ainda ser acessadas de qualquer local, permitindo o monitoramento contínuo do canteiro de obras.

3. Câmeras com compensador de luz ambiente

A Wide Dynamic Range (WDR) — ou amplo alcance dinâmico, no português — é uma tecnologia utilizada em câmeras de monitoramento que vem conquistando cada vez mais os usuários. Ela permite que pontos muito escuros se ajustem automaticamente à imagem, fazendo com que, assim, sejam visualizados com compensador de luz ambiente.

Já percebeu como os locais no canteiro de obras possuem diferentes tipos de iluminação? Com a tecnologia WDR, mesmo com essas diferenças de luz as imagens são ajustadas, permitindo que todo o local seja observado, e aumentando a segurança com o monitoramento de imagens.

O alcance dessas câmeras varia entre 20 e 25 metros. E vale dizer que as elas ainda são adaptadas quando há excesso de luz: quando surgem pontos extremamente claros na frente da câmera, como uma lanterna, elas se adaptam e obtêm toda a imagem do ambiente.

4. Câmeras térmicas

As câmeras térmicas são equipamentos utilizados para detectar objetos que não precisam de reconhecimento, mas devem ser monitorados para evitar o roubo.

Imagine, por exemplo, que você possui uma máquina de valor expressivo em seu canteiro de obras e, por isso, precisa que ela seja monitorada. Com esse tipo de câmera, é possível fazer isso sem a necessidade de investir em equipamentos mais caros, como as de infravermelho.

O princípio de funcionamento das câmeras térmicas se dá pela diferença térmica: cada área que possui uma determinada temperatura e massa é representada por uma zona de calor, que, posteriormente, é convertida em imagens.

Devido a isso, esses equipamentos podem localizar objetos que estão a quilômetros de distância! E podem ainda ser usados em conjunto com as câmeras comuns, para que as imagens sejam captadas em ambos os formatos, permitindo uma perfeita identificação da cena.

Como posicionar as câmeras em ambientes escuros

Além de definir qual é o melhor tipo de câmera de monitoramento para fazer a vigilância do canteiro de obras, ainda é preciso determinar qual será a melhor localização para esse equipamento.

Como o local é uma grande área externa, é importante que a câmera seja colocada para que se tenha a menor quantidade possível de pontos cegos.

E ainda é necessário verificar a qualidade das imagens geradas pelas câmeras. Isso porque, muitas vezes, o usuário pode acreditar que as cenas, por serem capturadas no escuro, possuirão sempre uma resolução ruim — o que não é verdade!

Se as imagens obtidas da sua câmera infravermelho estão oscilando, por exemplo, faça um teste na fonte de alimentação.

Em geral, esse problema acontece pois se trata de um tipo de equipamento que consome mais energia, especialmente se comparado às outras câmeras. Então, para ter certeza de que essa é a causa do problema, verifique a qualidade da imagem ao acionar o infravermelho. Caso ela oscile, está comprovado de que esse é o motivo.

Outro problema bastante comum nas câmeras que fazem monitoramento em ambientes escuros são as imagens esbranquiçadas. Isso é resultante de objetos que recebem alguma iluminação externa, o que acaba causando reflexo na câmera.

Assim, a imagem obtida fica esbranquiçada, com borrões ou algumas manchas brancas, dificultando sua identificação. Caso esse seja o seu problema, reposicione a câmera e faça um novo teste, até encontrar um local onde os objetos não refletem a luz.

Por fim, outro ponto importante a ser observado diz respeito às câmeras térmicas: como captam a diferença de calor, elas devem ser posicionadas em um local que tenha objetos de diferentes tamanhos. Afinal, quanto maior a diferença entre as massas, maior será também a oscilação de temperatura, permitindo uma visualização mais nítida das imagens.

Então, percebeu com as câmeras de monitoramento para ambientes escuros são importantes? Além de identificar imagens em locais que não possuem luz, elas ainda podem ser acessadas de maneira remota, permitindo que se faça a vigilância do canteiro de obras em tempo integral!

E agora que você já conhece os tipos de câmeras de monitoramento para ambientes escuros, aproveite para aprender também quais cuidados tomar com as câmeras de segurança antes da instalação, e garanta imagens perfeitas!

7 ideias para evitar furtos em canteiro de obras

7 ideias para evitar furtos em canteiro de obras

7 ideias para evitar furtos em canteiro de obras
As câmeras de segurança, tão utilizadas em caráter de vigilância, há muito tempo deixaram de ser instrumentos analógicos, que apenas gravavam imagens de baixa qualidade. Hoje, as câmeras são completamente digitais e utilizadas em funções diversas e, como não poderia deixar de ser, elas estão conectadas à internet, oferecendo ao mesmo tempo grande qualidade e facilidade de instalação e operação. As vantagens vão muito além de segurança, pois com preço baixo é possível acompanhar o trabalho de funcionários, monitorar uma residência ou estabelecimento comercial, possuir prova documental em caso de processos judiciais, dentre outros. Curioso? Descubra a seguir tudo sobre a tecnologia de câmeras IP.

O que é uma câmera IP?

Da mesma forma que computadores e demais dispositivos que se conectam a internet, esse tipo de câmera utiliza o protocolo IP, que lhe confere um número identificador possibilitando que outra máquina, em qualquer lugar do planeta, consiga ler as suas informações — nesse caso em especial, assistir ao que é exibido. Ou seja, basta instalar a câmera onde deseja e assistir ao vídeo no lugar que bem entender. Além disso, dependendo do modelo, estes equipamentos são capazes de enviar áudio, utilizar infravermelho para gravar em locais com pouca luz, mudar o ângulo da gravação, dentre outros. Essa flexibilidade favorece o uso da tecnologia para uso doméstico, comercial e industrial. Seja pela qualidade ou simplesmente pelo fator preço.

Quais os benefícios da câmera IP?

Ao contrário de câmeras analógicas antigas, que exigiam um trabalhoso processo de instalação (envolvendo sempre um trabalho de alvenaria para a passagem de cabos), as câmeras IP são muito mais eficientes. Os cabos são os mesmos utilizados por computadores (fáceis de manejar) e muitas delas oferecem a possibilidade de funcionar via Wi-Fi. Por se tratar de um aparelho totalmente digital, as imagens não possuem interferência e a resolução fica ao gosto do cliente: as imagens podem ser capturadas em alta definição.

Imagens sobre o artigo

Número de furtos em construções civis aumenta 17% e preocupa moradores e comerciantes em Poços de Caldas, MG

Número de furtos em construções civis aumenta 17% e preocupa moradores e comerciantes em Poços de Caldas, MG

Número de furtos em construções civis aumenta 17% e preocupa moradores e comerciantes em Poços de Caldas, MG

Nem mesmo os containers usados para guardar ferramentas e maquinários têm inibido a ação dos criminosos na cidade.

http://g1.globo.com/mg/sul-de-minas/noticia/numero-de-furtos-em-construcoes-civis-aumenta-17-e-preocupa-moradores-e-comerciantes-em-pocos-de-caldas-mg.ghtml

Comerciantes e moradores estão assustados com o aumento no número de furtos aos canteiros de obras de construções civis em Poços de Caldas (MG). Segundo a Secretaria Estadual de Defesa Social (Seds), neste ano, os casos de furtos aumentaram cerca de 17% na cidade, se comparados com os registros feitos no ano passado.

Ainda segundo a Seds, o crescimento também é sentido em todo o Estado de Minas. Em 2015 foram mais de 6,7 mil casos, já no ano passado o número subiu para pouco mais de 7,1 mil registros.

Nem mesmo os containers usados para guardar ferramentas e maquinários têm inibido a ação dos criminosos em Poços de Caldas (Foto: Reprodução EPTV)

“Todo o tipo de equipamento está sujeito a roubo. A betoneira, gerador, martelete, andaimes. E, enquanto não muda, é o povo brasileiro que vai ter prejuízo, né”, disse o comerciante José Maria Font Juliá.

Para tentar inibir a ação dos bandidos, muita gente tem optado por guardar ferramentas e maquinários em containers, mas nem assim os furtos têm sido evitado.

“Era pra inibir um pouco o roubo, mas o pessoal não está tendo medo dessas coisas mais não. Eles estão entrando mesmo, eu não sei se é impunidade ou o que é, porque eles sabem que não leva há nada. Eles estão sem medo”, disse o empresário Francisco José Caifa Mesquita Filho.

Como escolher o melhor serviço de câmeras IP para obras?

Como escolher o melhor serviço de câmeras IP para obras?

Como escolher o melhor serviço de câmeras IP para obras?
Segurança e otimização de tempo são os grandes sonhos de todo gestor de obra. Pensando em uma solução para unir essas duas vantagens e facilitar a rotina nas obras, as empresas estão investindo em sistemas de monitoramento. Se você também está pensando em escolher câmeras IP para a sua empresa, pode estar prestes a fazer um bom negócio.

É claro que todo equipamento precisa ser comparado e testado antes de ser adquirido ou alugado. Por isso, preparamos esse post para que você entenda um pouco mais sobre as características e funcionalidades das câmeras IP. Confira as dicas a seguir!

As vantagens de ter um sistema de monitoramento

O monitoramento de obras usando câmeras traz uma série de vantagens para empresas, gestores e trabalhadores. Além de aumentar a segurança no canteiro de obras, as câmeras permitem que os gestores acompanhem diversas obras sem sair do escritório.

Essa facilidade economiza tempo e dinheiro, já que os gestores precisam se deslocar menos. As câmeras também facilitam o registro do progresso das atividades. Além disso, as câmeras são capazes de detectar ações e movimentos e emitir alertas, reduzindo o gasto com pessoal de segurança.

Por todas essas funcionalidades, as câmeras têm sido adotadas pelas empresas e já são realidade em muitos canteiros e minas.

Como escolher câmeras IP

A câmera IP pode ser acessada e controlada por qualquer rede que utilize o IP (Internet Protocol). Isso significa que ela pode utilizar a internet, uma rede LAN ou uma intranet.

Normalmente é possível visualizar as imagens e vídeos gerados pela câmera de qualquer computador, simplesmente utilizando a internet. Veja as principais características a serem observadas na hora de escolher câmeras IP!

Conexão com a Internet

A conexão com a internet é uma das características mais importantes das câmeras IP. A conexão é feita via cabo, Wi-Fi ou 4g. A disponibilidade de internet pode ser limitada em locais remotos e, por isso, é importante adquirir uma câmera que aceite diferentes tecnologias.

Acesso remoto e multiplataforma

As câmeras IP geralmente podem ser acessadas remotamente usando celulares, tablets ou computadores. O acesso é feito utilizando aplicativos ou softwares destinados a esse fim. É possível encontrar ferramentas gratuitas que são práticas e fáceis de configurar.

Visão noturna

A visão noturna permite que a câmera continue a fornecer imagens nítidas mesmo quando há pouca luz no local. Essa é uma característica importante se a sua equipe também trabalha no turno da noite ou se a obra está em uma área onde é comum ocorrer furtos e assaltos.

Detecção de movimento

A detecção de movimento permite que a câmera identifique a entrada de pessoas estranhas ou qualquer evento inesperado. Algumas câmeras podem ser programadas para enviar alertas automáticos quando detectarem eventos ou quando acontecer uma tentativa de roubo ou de desativação do equipamento.

Fonte de energia

A disponibilidade de energia também pode ser crítica em alguns locais e canteiros e as câmeras IP oferecem algumas possibilidades. Elas podem ser alimentadas via tomadas, baterias e, em alguns casos, podem usar até mesmo a energia solar.

Além dessas características principais, é possível considerar outros fatores na hora de escolher câmeras IP. Elas têm diferentes resoluções, tipos de zoom, posicionamento das lentes, resistência à água e assim por diante.

A escolha da câmera IP deve ser feita pensando na melhor solução para agregar segurança, confiabilidade e custo-benefício para empresas e gestores de obras. Entre em contatoconosco para escolher a melhor câmera IP para as suas obras!

Para que serve a tecnologia WDR em câmeras de segurança?

Para que serve a tecnologia WDR em câmeras de segurança?

Para que serve a tecnologia WDR em câmeras de segurança?
As câmeras de segurança viraram grandes aliadas dos responsáveis por vários canteiros de obra, tornando possível um gerenciamento remoto sem perder o controle sobre o que está acontecendo.

Com o tempo, novos modelos vêm ajudando ainda mais o trabalho dos gestores, e a tecnologia WDR é a grande novidade no mercado para aprimorar o acompanhamento de obras.

E você, não conhece o WDR? Então a gente te explica!

O que é a tecnologia WDR?

Se você já usa câmeras de segurança para gerenciar vários canteiros, talvez conheça este problema. Muitos modelos de câmera têm dificuldade para lidar com a iluminação de lugares em que ela varia muito.

Por exemplo, dentro de um andar ainda em construção você pode ter uma área coberta e outra aberta. Câmeras normais deixam a parte aberta clara demais ou a fechada escura demais, o que dificulta uma visão geral de tudo que está acontecendo.

É aí que entra a tecnologia WDR, sigla que significa Wide Dynamic Range, ou Alcance Dinâmico Amplo. Essa tecnologia permite que câmeras de segurança ajustem automaticamente a imagem para equilibrar áreas claras e escuras. Assim, não há perda de informação em qualquer situação de gerenciamento.

Por que investir em câmeras de segurança com essa tecnologia?

As câmeras de segurança com tecnologia WDR são uma aposta certa para gestores de canteiros de obras. Veja suas vantagens:

Informações garantidas

Quando se fala em perda de informações em vídeos, estamos falando sobre áreas da imagem tão claras ou escuras que não é possível ver o que está sendo filmado ali.

Câmeras WDR reduzem drasticamente esta perda, equilibrando automaticamente o brilho e o contraste para que tudo o que acontecer no canteiro de obra esteja devidamente registrado.

Acompanhamento dia e noite

Como as câmeras de segurança com tecnologia WDR se ajustam automaticamente à iluminação, isto significa que você terá imagens de boa qualidade dia e noite sem precisar alterar qualquer configuração.

Principalmente à noite, vários modelos se tornam quase inúteis porque não conseguem mostrar bem o que acontece no canteiro. Investindo em câmeras WDR, você nunca mais terá este problema.

Gerenciamento de pessoal

Se você gerencia muitas obras ao mesmo tempo, é difícil reconhecer toda a mão de obra contratada. Por isso, caso haja algum problema, é preciso ter o rosto de todos os trabalhadores bem registrados.

Em câmeras comuns, o que acontece muito é que, em lugares com muita variação de luz, os rostos das pessoas podem ficar muito escuros ou muito claros, tornando difícil a identificação.

Nas câmeras com WDR, o ajuste da iluminação diminui o brilho de regiões muito claras e compensa em ambientes muito escuros, mostrando bem as faces de todas as pessoas que forem filmadas.

Câmeras de segurança com tecnologia WDR são uma nova forma de gerenciar e acompanhar canteiros de obra com controle total do que está acontecendo dia e noite, sem a necessidade de se preocupar com a iluminação.

Ficou interessado na tecnologia? Tem alguma dúvida? Então entre em contato conosco, via telefone ou chat. Assim, você será um gestor mais eficiente e com mais tempo para se dedicar ao trabalho.

Terceirizar serviços de segurança: saiba como ter sucesso!

Terceirizar serviços de segurança: saiba como ter sucesso!

Terceirizar serviços de segurança: saiba como ter sucesso!
Atualmente, muitas empresas recorrem à terceirização para executar atividades secundárias, mas não menos importantes. São secundárias porque não são o foco da empresa, ou seja, não constituem a finalidade do negócio.

segurança é fundamental para qualquer empresa, e é bastante possível terceirizar serviços de segurança. Muitos empreendedores, no entanto, ainda ficam em dúvida sobre a eficiência e a garantia de serviços terceirizados.

Veja como terceirizar serviços de segurança com sucesso!

Busque um primeiro contato

Para escolher uma boa prestadora de serviços de segurança, a empresa deve considerar, acima de tudo, a reputação que ela possui entre os clientes e no mercado em geral. É possível adquirir informações com os próprios funcionários dela: se eles se sentem satisfeitos, se ela paga corretamente seus direitos e fornece treinamento necessário para o desempenho de suas atividades, se a remuneração é satisfatória, etc.

Confirme se ela costuma honrar seus compromissos ou é irresponsável e displicente. Caso a empresa que oferece serviços seja alvo de muitas criticas e até de processos judiciais ou trabalhistas, procure outra.

Verifique sua legalização e documentação

Certifique-se de que ela está autorizada pela Polícia Federal a prestar serviços de segurança. Para cada estado, é preciso uma autorização específica, sendo que uma empresa autorizada a atuar em um estado pode não estar autorizada a exercer suas atividades em outro.

Confira documentos da empresa, como:

  • Certificado de Segurança, Portaria de Autorização e Alvará de Revisão (Ministério da Justiça, Departamento da Polícia Federal);
  • Certidões Negativas de Débitos Federais, Estaduais e Municipais (Receita Federal e secretarias);
  • Certidão Negativa de Débitos relativos ao INSS (Previdência Social);
  • Certificado de Regularidade do FGTS (Caixa Econômica Federal);
  • Certidão negativa de débitos salarias e trabalhistas (Ministério do Trabalho);
  • Guia de Recolhimento da Contribuição Sindical.

Observe a tecnologia utilizada ao terceirizar serviços de segurança

A tecnologia é um importante requisito, portanto, uma boa empresa de segurança deve oferecer equipamentos desenvolvidos para garantir a eficiência dos serviços, como câmeras 24 horas, monitoramento móvel, central de atendimento bem integrada, veículos utilizados e outras coisas.

Os sistemas automatizados são o grande diferencial entre uma empresa realmente preparada e outra menos equipada.  Considere os sistemas inteligentes que permitem a detecção de objetos estranhos, a contagem de pessoas, a leitura de placas de carros, o rastreamento e o envio de sinais de alerta.

Considere a proposta e fique ciente dos custos

Fique a par de tudo que será feito caso os serviços sejam contratados:

  • Carga horária;
  • Funções dos profissionais;
  • Escalas;
  • Fornecimento de refeição;
  • Transporte;
  • Pagamento e reajustes;
  • Planilha de custos (salários, adicionais, horas extras, encargos sociais, vales, assistência médica, uniformes, equipamentos de proteção individual, equipamentos em geral, taxa de administração e assim por diante).

Atente-se para a adequada contratação dos serviços

Na hora de elaborar o contrato, fique atento para que sejam dispostas todas as cláusulas necessárias, conforme a proposta (valores, formas de pagamento, prazos, penalidades, forma de avaliação). A presença de um advogado para confirmar se está tudo dentro da lei é importante.

Perante a lei, além de fazer o acompanhamento dos serviços, a empresa contratante precisa fiscalizar a contratada e certificar-se de que ela está cumprindo suas obrigações trabalhistas. Para isso, é importante verificar mensalmente:

  • Cópia do contracheque e comprovante de pagamento;
  • Cópia do comprovante de pagamento do INSS e FGTS;
  • Cópia do pagamento de férias e verbas rescisórias;

Mantenha essas cópias arquivadas (pode digitalizá-las e armazená-las em um sistema operacional).

Estimule o envolvimento dos colaboradores

Finalmente, é importante que os funcionários de sua própria empresa participem desse processo de terceirização. Eles devem estar abertos às modificações que serão realizadas, prontos para ajudar os profissionais terceirizados a cumprir suas obrigações, respeitando o que for definido e agindo em parceria com eles para que o sistema de segurança possa realmente funcionar.

E então, pensando em terceirizar serviços de segurança? Se quiser adquirir mais informações sobre a segurança no ambiente empresarial, baixe nosso e-book “Guia Completo para Segurança em Grandes Empresas”!

Venda Mais Startup apresentou sistema de monitoramento autônomo inovador

Venda Mais Startup apresentou sistema de monitoramento autônomo inovador

Venda Mais Startup apresentou sistema de monitoramento autônomo inovador
SAM, criado por uma empresa acelerada pela FIEMG Lab, despertou interesse de empresas industriais e entidades públicas

SAM – Sistema Autônomo de Monitoramento participou do Projeto Venda Mais Startup no dia 11/05, na sede da FIEMG,  e foi apresentado para uma plateia de representantes de empresas privadas e entidades públicas. O produto, criado por uma startup que participa do FIEMG Lab, oferece segurança 24 horas de forma independente e móvel. “Queremos tornar Belo Horizonte a cidade mais inovadora do mundo. Temos um ambiente de startups vibrante e o presidente do Sistema FIEMG nos incentiva nessa direção”, disse o chefe do Escritório de Prioridades Estratégicas da FIEMG, Marcos Mandacaru, ao receber os convidados para o evento.

O SAM permite acesso remoto 24 horas ao local vigiado por meio de câmeras inteligentes HD com duração das gravações adaptados à sua necessidade. Seu sistema fotovoltaico de captação da energia solar o faz dispensar ligação com a rede elétrica. O diretor comercial do SAM, Tiago Maciel, explicou que o aparelho pode ser instalado em locais sem infraestrutura e é plugnplay. Pode ser configurado de várias formas, de acordo com a necessidade do cliente. “O SAM pode monitorar áreas em portos, obras em estradas, regiões de mineração, entre outros. Em aeroportos, ele pode detectar uma bagagem que foi deixada em um local por mais de 15 minutos, por exemplo”, contou Maciel, acrescentando que sua empresa também oferece o serviço de monitoramento, além de alugar ou vender o equipamento.

Um dos convidados para a apresentação do SAM foi o tenente coronel do Corpo de Bombeiros Azeredo, que também é subdiretor de apoio logístico da Corporação. Ele contou que os Bombeiros precisam constantemente de equipamentos de monitoramento, e que possam ser facilmente deslocados. “Achei o sistema bastante interessante. Principalmente por dispor da versão com energia fotovoltaica. Precisamos desse tipo de aparelho, por exemplo, para monitorar ocorrências como incêndio em matas ou áreas propícias a enchentes”, disse.

Também estava presente o gerente de Pesquisa, Informação e Inovação da Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans), Fernando Chiarini. Ele trabalha, entre outras atribuições, com banco de dados de acidentes de trânsito. Ele estava representando o presidente da instituição e demonstrou interesse pelo SAM. “Achei muito interessante o sistema, precisamos conhecê-lo mais profundamente. Ele pode nos ajudar a contar pedestres e veículos de vias da cidade, o que é a base de qualquer estudo que nós fazemos”, afirma.

Projeto Venda Mais conecta oferta de produtos e serviços inovadores e com viés de sustentabilidade à demandas industriais. O Projeto Venda Mais Startup é uma ação conjunta da Gerência de Capitalização e Acesso ao Mercado com a Aceleradora de Startups FIEMG Lab. Essa edição, pela especificidade do produto apresentado,  teve o apoio do conselho de Defesa da FIEMG – CONDEFESA.

Essa edição busca conectar tecnologias inovadoras a negócios promovendo crescimento da indústria em Minas Gerais, onde fornecedores mineiros com produtos e serviços inovadores, tecnológicos ou com viés de sustentabilidade se apresentarão a potenciais compradores.

Quais são os EPIs obrigatórios na mineração? Entenda!

Quais são os EPIs obrigatórios na mineração? Entenda!

Quais são os EPIs obrigatórios na mineração? Entenda!
A mineração é um processo em que ocorre a extração de minerais naturalmente concentrados na terra. Os recursos extraídos são de extrema importância para o desenvolvimento de determinado local, porém essa atividade se torna ainda mais perigosa quando não acontece a utilização dos EPIs (equipamentos de proteção individual) obrigatórios.

Todas as atividades que proporcionam riscos físicos para o trabalhador devem ser desempenhadas com a utilização de EPIs. Esses acessórios são indispensáveis, principalmente, em grandes empresas. Todos os equipamentos devem ser fornecidos pelo empregador.

A seguir listaremos oito EPIs obrigatórios na mineração. Você não pode perder!

1. Capacete

O capacete é um equipamento desenvolvido com a finalidade de proteger a cabeça contra impactos externos. Para evitar o desconforto causado pelo capacete, o ideal é considerar os diferentes formatos de cabeça humanos.

segurança do trabalhador está em primeiro lugar. Por isso, a utilização do capacete é fundamental durante todo o tempo trabalhado.

2. Óculos de proteção

Os óculos de proteção impedem que estilhaços, pedras e poeira caiam e machuquem os olhos.

Esse EPI obrigatório na mineração é extremamente importante, pois evita que a visão do trabalhador seja danificada pelas atividades desempenhadas.

3. Protetores auditivo-auriculares

Ruídos sonoros podem prejudicar a audição em curto, médio ou longo prazo. No entanto, os protetores auditivos possuem a função de abafar ou anular esses ruídos, mantendo assim a audição do trabalhador segura e satisfatória.

Os protetores precisam ser escolhidos de acordo com a demanda do local e utilizados sistematicamente onde indicado.

4. Máscaras de respiração

O ar limpo é fundamental para manter a vida e a saúde, mas em alguns lugares o ar dispõe de substâncias que provocam doenças, irritações e perigos para a vida.

Portanto, o uso de máscaras é extremamente importante, considerando que elas contêm um filtro que impede a inalação de substâncias indesejadas.

A máscara de respiração deve ser escolhida com atenção e armazenada em locais livres de poeira. O equipamento precisa ser trocado em caso de dificuldade para respirar ou quando se percebe o cheiro da substância com que se está trabalhando.

5. Camisas com faixas refletivas

Os trabalhadores de mineradora precisam ser vistos, principalmente, pelos operadores de máquinas. Por isso, as camisas com faixas refletivas proporcionam a eles um destaque no meio atuante, visando anular ou reduzir possíveis acidentes.

A camisa com faixas refletivas pode e deve ser utilizada como uniforme de toda a equipe diariamente.

6. Cintos de segurança

Esse equipamento precisar ser aplicado e fixado ao cabo salva-vidas para ser usado em caso de emergência, com a finalidade de retirar o trabalhador do local exposto ao perigo.

Os cintos devem ser verificados e utilizados periodicamente por toda a equipe.

7. Luvas anticorte

É um dos EPIs obrigatórios na mineração e fundamental para a segurança de trabalhadores que manuseiam ferramentas ou máquinas de corte.

A luva anticorte não apresenta costuras e é composta por fios de aço inoxidáveis altamente resistentes para que dificultem a penetração de qualquer material cortante.

A luva deve ser utilizada sempre em bom estado e precisa ser substituída em caso de aberturas ou defeitos.

8. Proteções para o corpo em geral

Calças e calçados adequados para suportar as condições climáticas e químicas do lugar devem ser disponibilizados em prol da segurança e conforto dos funcionários. Atualmente, esses itens são fabricados com materiais leves e confortáveis visando à satisfação e utilização diária de todos os trabalhadores.

Os EPIs obrigatórios na mineração devem ser implantados rigorosamente, pois proporcionam segurança e qualidade de vida para toda a equipe. Cada equipamento listado possui uma função específica com o objetivo de proteger a vida humana e erradicar os riscos de doenças.

Infelizmente, muitos funcionários oferecem resistência ao uso dos EPIs, mas para que essa atitude seja extinta são necessários palestras, treinamentos constantes e a conscientização de todos.

É interessante apresentar dados reais que indiquem o perigo de rejeitar os equipamentos obrigatórios e destacar os benefícios proporcionados por meio da utilização correta deles. Se esses métodos não funcionarem, advertências e penalizações podem ser aplicadas!

Este conteúdo foi útil para você? Leia também o nosso post sobre as regras indispensáveis de segurança em minas subterrâneas.